ECG 28

Eletrocardiograma de paciente de 78 anos hipertensão mal controlada. Qual o diagnóstico deste ECG?

 

ECG

 

Laudo final:

  • Ritmo sinusal FC= 85bpm
  • Bloqueio átrio-ventricular de primeiro grau (intervalo PR=220ms)
  • Bloqueio completo do ramo esquerdo (QRS= 165ms)

Comentários:

A identificação do ritmo sinusal requer alguns critérios que estão presentes neste ECG. São eles: 1) presença de onda P obrigatoriamente negativa na derivação aVR, 2) ondas P positivas nas derivações inferiores – demonstrando assim a ativação céfalo-caudal (de cima para baixo) a partir do nó sinusal. O cálculo da medida do FC é simples, realizado pela regra do “quadradão”: 300/ pelo número de quadrados grandes entre cada intervalo RR, dessa forma temos 300/3,5= 85bpm. O intervalo PR é prolongado (maior que 200ms) e há condução de 1:1 onda P para cada complexo QRS caracterizando o BAV de primeiro grau. Nota-se também o QRS largo medindo cerca de 165ms com morfologia de Bloqueio de ramo esquerdo: aspecto de “torre” em V6, aVL e DI com ondas S profundas nas precordiais direitas (V1, V2, V3)

 

 

Aula de Critérios de Brugada – Taquicardias de QRS largo

Aula de divulgação do ECG curso – Curso Intensivo de Eletrocardiograma

Trecho da aula de critérios de Brugada – Taquicardias de QRS largo

Mais informações sobre o curso:

http://www.ecgcurso.com

ECG 23

Galeria

Esta galeria contém 1 imagem.

Paciente de 18 anos com ECG abaixo. Qual é o laudo deste eletrocardiograma? Laudo do ECG – Ritmo sinusal com BAV mobitz I (Wenckebach) : note na derivação DII a presença de aumento progressivo do intervalo PR com 2 ondas … Continuar lendo

ECG 19

Galeria

Esta galeria contém 1 imagem.

ECG realizado em uma paciente de 49 anos com queixa de dispnéia progressiva aos mínimos esforços. Está em tratamento para neoplasia pulmonar (adenocarcinoma). Dê o seu diagnóstico! Comentários Neste traçado podemos observar nitidamente no DII longo o fenômeno de alternância … Continuar lendo

O que é a dispersão do intervalo QT e quais são as suas implicações prognósticas?

Galeria

Esta galeria contém 1 imagem.

por Dr. Felipe Augusto de O. Souza A dispersão do intervalo QT indica a existência de tempos de recuperação diferentes no miocárdio ventricular, esta variabilidade temporal na repolarização ventricular pode indicar a diminuição da excitabilidade do miócito favorecendo o aparecimento … Continuar lendo

PARTE 2- ECG CURSO: QUESTÕES COMENTADAS SOBRE ELETROCARDIOGRAMA 06 a 10

Aprenda eletrocardiografia com as questões comentadas sobre o tema nesta vídeo aula.

Questões comentadas 06 a 10 do curso intensivo de eletrocardiograma – ECG CURSO

Este material é destinado aos alunos que realizaram os cursos de eletrocardiograma intensivo – presencial e online.

http://www.ecgcurso.com

PARTE 1- ECG CURSO: QUESTÕES COMENTADAS SOBRE ELETROCARDIOGRAMA 01 a 05

Aprenda eletrocardiografia com as questões comentadas sobre o tema nesta vídeo aula.

Questões comentadas 01 a 05 do curso intensivo de eletrocardiograma – ECG CURSO

Este material é destinado aos alunos que realizaram os cursos de eletrocardiograma intensivo – presencial e online.

http://www.ecgcurso.com

Vídeo aula de eletrocardiograma baseada em casos clínicos

Video aula ministrada pelo Dr. Márcio Gianotto, médico cardiologista especialista em Arritmia e Eletrofisiologia invasiva.
Esta vídeo aula aborda os principais aspectos do eletrocardiograma baseados em casos clínicos.

Vale a pena conferir !

Cerca de 1 hora de aula para você leitor do ecgepm.com! Adicione o seu e-mail em nossa lista e receba os nossos posts atualizados !

Assista em alta resolução – HD

ECG 16

Este ECG (DII longo) pertence a um cachorro da raça boxer com história de dispnéia progressiva.

Quais as alterações marcadas neste traçado ? Dê o seu diagnóstico! Elas podem ser encontradas em humanos.

Clique na imagem para ampliar

Laudo final:

-Ritmo sinusal com bloqueio intermitente do fascículo de Bachmann (bloqueio intra-atrial)

Comentários:

Dr. Felipe Augusto O. Souza

Neste traçado de DII longo observamos ondas P sinusais intercaladas por ondas P de morfologia bifásica de duração prolongada as custas da porção terminal mais negativa (asteriscos – figura acima)

O cachorro apresentava quadro de dispnéia progressiva que motivou a consulta com o veterinário. Foi visto  no ecocardiograma transtorácico deste cão uma massa provavelmente de etiologia neoplásica (não realizado necrópsia) que fazia compressão pelo seu relativo volume no interior do átrio direito. Vide mais informações no artigo original

Isto tudo seria explicado da seguinte maneira: O átrio direito foi ativado normalmente (dando o componente positivo da onda P em II, III, e aVF), mas o impulso elétrico não alcança o átrio esquerdo pelo fascículo de Bachmann, devido ao bloqueio intermitente (figura abaixo) secundário a compressão da massa neoplásica sobre ele. Para que haja a despolarização do àtrio esquerdo, o estímulo proveniente para esta despolarização se dá de forma retrógrada (direção caudal-cranial) pela existência de feixes de condução internodal existentes nas proximidades do nó atrioventricular, produzindo o componente negativa da onda P, como se vê no traçado eletrocardiográfico.

Os critérios diagnóstico eletrocardiográficos para o bloqueio do fascículo de Bachmann : ondas P com morfologia plus-minnus (bifásica) com porção terminal desviada para cima e para esquerda, aumento da duração da onda P > 120ms na ausência de sobrecarga atrial esquerda.

Um grande abraço a todos! Adicione ecgepm no twitter e no facebook !